Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/20.500.12207/5831
wcag
Title: Vivências do cuidador informal de familiar de pessoa idosa no contexto domiciliário
Authors: Veiga, Vandira de Brito da
Orientador: Faria, Maria Cristina Campos De Sousa
Keywords: Cuidador informal de idosos
Gerontologia
Cuidados de saúde
Sobrecarga do cuidador informal
Cuidados no domicílio
Issue Date: 28-Mar-2022
Citation: Veiga, V. (2022). Vivências do cuidador informal de familiar de pessoa idosa no contexto domiciliário. [Dissertação de mestrado, Instituto Politécnico de Beja]. Repositório Científico do Instituto Politécnico de Beja. https://hdl.handle.net/20.500.12207/5831
Abstract: O envelhecimento populacional é um dos fenômenos de maior impacto evidenciado no cenário mundial. As mudanças demográficas decorrentes do processo de envelhecimento populacional, ocorridas na contemporaneidade, são acompanhadas por modificações no perfil de morbimortalidade da população. Nesse processo, evidencia-se, mais frequentemente, a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis, que atingem, sobretudo, a população idosa e que podem, eventualmente, comprometer a capacidade funcional desses indivíduos, que passam a depender de cuidados permanentes. Na atualidade as famílias continuam a ser os principais recursos informais que proporcionam cuidados aos idosos dependentes. Estes cuidadores familiares deparam-se com exigências, decorrentes do processo de cuidar que englobam desde os aspetos emocionais aos instrumentais. Assim, este trabalho tem como objetivo geral compreender as vivências do cuidador informal de familiar de idosos no contexto domiciliário no concelho de São Salvador do Mundo em Cabo Verde. Decorrente deste objetivo geral, os objetivos específicos passaram por: caracterizar o perfil sociodemográfico do cuidador informal de familiar de idosos no contexto domiciliário e dos profissionais na área de saúde; identificar os sentimentos do cuidador informal de familiar de idosos; identificar as dificuldades e experiências vivenciadas pelo cuidador informal; conhecer as estratégias de intervenção utilizadas pelo cuidador na prestação de cuidados, identificar a relação dos profissionais na área de saúde com os cuidadores informais de familiar de idosos no contexto domiciliário; conhecer os apoios dos profissionais na área de saúde e outras redes de suporte social. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório de carater quali-quantitativo realizado com uma amostra intencional, constituída por 8 cuidadores informais e 2 profissionais na área de saúde no concelho São Salvador do Mundo, onde a colheita dos dados foi efetuada recorrendo a um guião de entrevista semi estruturado com caracterização sociodemográfica, Escala de Zarit (Sequeira, 2010) e CASI (Sequeira, 2010), aplicado em contexto domiciliário, respeitando os princípios éticos inerentes ao processo de investigação, tendo os dados colhidos sido submetidos a uma análise descritiva com recurso a análise de conteúdo. Após a análise dos dados verificou-se que todos os cuidadores são do sexo feminino (100%), a maioria são solteira (62,50%), desempregada (50,00%), sendo que prestam cuidados a maioria são as filhas (62,50%) e os conjugues (12,50%) e todos coabitam com a pessoa cuidada. Todos os participantes referiram ter uma relação boa com o seu familiar, os cuidadores de idosos receberam 100% dos apoios dos familiares. Quanto ao motivo que levou o cuidador informal a prestar cuidados, a maioria respondeu que cuidaram dos seus familiares por obrigação/dever (62,50%). O tempo mínimo é de 6 meses e máximo é de 9 anos. O apoio social recebido pelos participantes a maioria é do Centro Saúde (80,00%), sendo que 62,50% dos cuidadores receberam apoio relacionados com os cuidados de enfermagem. A falta de disponibilidade, défice na Saúde, a idade avançada são algumas das dificuldades sentidas pelos participantes apesar de partilharem os cuidados com outros membros da família, mas também relataram estar satisfeito por prestarem cuidados aos seus familiares. A maioria dos cuidadores (63,52%) não apresenta sobrecarga. No que tange a relação dos profissionais na área de saúde com os cuidadores informais e os idosos referiram falta de profissionais que a relação é pouca, também referem falta de apoio aos idosos. A partir dos resultados obtidos é apresentada uma proposta de um projeto de intervenção designado de Cuidar de quem já cuidou desenhada com o objetivo de capacitar os cuidadores informais através de seções de formações e informação sobre o processo de cuidar.
URI: https://hdl.handle.net/20.500.12207/5831
Designation: Dissertação de mestrado em Gerontologia Social e Comunitária. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação, 2022
Appears in Collections:D-ECSC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
wcag
File Description SizeFormat 
Vandira Veiga correção_PDFA.pdf1.04 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons