Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/20.500.12207/4671
wcag
Title: Representações sociais dos profissionais de saúde do suporte social dos idosos na urgência hospitalar
Authors: Martins, Maria de Fátima Luzia
Orientador: Faria, Maria Cristina Campos de Sousa
Keywords: Idoso
Saúde
Doença
Representações sociais
Profissionais de saúde
Suporte social
Urgência hospitalar
Issue Date: 18-Mar-2016
Citation: Martins, M. (2016). Representações sociais dos profissionais de saúde do suporte social dos idosos na urgência hospitalar. (Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação.
Abstract: O envelhecimento da população é um dos principais problemas atualmente existentes em todo o mundo, o aumento e a expansão dos problemas relativos ao envelhecimento introduziram a necessidade de se compreender melhor uma fase da existência que também faz parte do ciclo da vida humana (Fonseca, 2006 p.8). É preciso que a sociedade atualize esta informação e se prepare para a vinda duma geração mais velha; assim, parece-nos relevante conhecer como a sociedade atual perceciona este novo grupo etário que tem vindo a aumentar nos últimos tempos, marcando a sua presença em vários contextos, obrigando à criação e à preparação de serviços para fazer face às suas necessidades. A presente investigação tem como base compreender quais as representações sociais dos profissionais de saúde do Serviço de Urgência do Hospital José Joaquim Fernandes, situado em Beja, no Baixo Alentejo, no que diz respeito ao suporte social dos idosos em contexto hospitalar. Pretende-se conhecer de que forma estes profissionais vêm os idosos que recorrem ao serviço de urgência em relação ao suporte social. A amostra foi constituída por pessoas de diferentes classes profissionais: médicos, assistente social e enfermeiros que fazem parte do Serviço de Urgência. Aplicou-se um inquérito especificamente criado para o efeito a 32 enfermeiros; ao enfermeiro chefe do serviço de urgência, 5 médicos e assistente social optou-se por uma entrevista Semiestruturada. A entrevista e o inquérito foram elaborados através de um guião no sentido de saber quais representações sociais dos profissionais em relação ao suporte social dos idosos. A análise dos inquéritos foi efetuada através do programa SPSS e as entrevistas foram sujeitas a uma análise de conteúdo. Os resultados obtidos nesta investigação, permitiram-nos compreender que nem sempre a representação que os profissionais têm sobre um acontecimento, corresponde à realidade e que diferentes classes profissionais têm opiniões diversas acerca do mesmo fenómeno. Observámos que a abordagem e intervenção efetuadas por cada profissional depende da sua área de atuação, e que por vezes este não está preparado para a população idosa, verificámos que o género e as patologias dos idosos que recorrem ao serviço de urgência foram referidos de forma diversa por diferentes classes profissionais. Os participantes consideraram que, cada vez mais os idosos que recorrem ao serviço de urgência fazem-no por motivos sociais e não só por motivos de saúde. A desresponsabilização por parte das famílias é um dos aspetos fundamentais referenciado, sugerindo-se o envolvimento da família como a solução de muitos dos problemas dos idosos que recorrem ao serviço de urgência. Os cuidados prestados aos idosos no serviço de urgência poderiam ser melhorados através da comunicação, com os familiares, fornecendo informações importantes para a intervenção dos profissionais e debates multidisciplinares com os vários grupos profissionais. A solidão foi outro dos aspetos que os profissionais apontaram como sendo prejudicial para a vida dos idosos, pois sozinhos não conseguem ter os cuidados necessários com a sua saúde. O apoio social prestado aos idosos é apontado pelos participantes como insuficiente para as necessidades, pois existem idosos a que o apoio não chega. Os problemas deveriam ser detetados nos centros de saúde, permitindo que se inicie o quanto antes o processo com vista a intervir no sentido de solucionar os problemas dos idosos. A alteração das políticas sociais poderia ser uma das soluções apontadas para que se possa intervir com mais eficácia, junto dos idosos que cada vez mais, são em grande número. De acordo com a análise efetuada, foi elaborado um projeto que se divide em duas partes, sendo que a primeira será denominada “Juntos pelo Idoso”, com vista a promover formação aos profissionais de saúde, para que possam trabalhar em conjunto e intervir da melhor forma possível junto dos idosos; a segunda parte do projeto, consiste na criação de um gabinete de atendimento a idosos em urgência (GAIU), com o objetivo de dar apoio aos idosos e seus familiares, fazendo de elo de ligação com os serviços existentes, nomeadamente o serviço social e a consulta de gerontopsiquiatria da instituição, assim como da comunidade.
URI: http://hdl.handle.net/20.500.12207/4671
Designation: Dissertação de mestrado em Psicogerontologia comunitária. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação, 2016
Appears in Collections:D-ECSC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
wcag
File Description SizeFormat 
Maria de Fátima Martins.pdf10.18 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons