Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/20.500.12207/5346
wcag
Title: A importância das atividades de vida diária e das atividades instrumentais nos estilos de vida de alunos com dificuldades intelectuais e desenvolvimentais severas
Authors: Vieira, Cristiana Gomes
Orientador: Espírito Santo, Adelaide Pereira Jacinto do
Keywords: Programa Educativo Individual (PEI)
O Plano Individual de Transição (PIT)
Dificuldades Intelectuais e Desenvolvimentais (DID) severas
Atividades de Vida Diária (AVDs) e Atividades de Vida Diária Instrumentais (AVDIs)
Issue Date: 25-Jun-2020
Citation: Vieira, C. (2020). A importância das atividades de vida diária e das atividades instrumentais nos estilos de vida de alunos com dificuldades intelectuais e desenvolvimentais severas. (Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação.
Abstract: O atual Decreto-Lei n.°54/2018 pretende a inclusão de todos os alunos. Deste modo, foram criadas diversas medidas educativas a serem aplicadas consoante as necessidades de cada aluno. Assim, os alunos com dificuldades intelectuais e desenvolvimentais (DID) severas abrangidos pelas medidas adicionais são alunos nos quais persistem dificuldades acentuadas na aquisição das aprendizagens, pelo que fazem parte dessas medidas o Programa Educativo Individual (PEI) e o Plano Individual de Transição (PIT). No presente estudo pretende-se analisar em que medida os programas educativos individuais (PEIs) e os planos individuais de transição (PITs) dos alunos com DID severa promovem as atividades de vida diária (AVDs) e as atividades de vida diária instrumentais (AVDIs) desses alunos. Como terapeuta ocupacional e tendo em consideração que um dos nossos principais objetivos é promover o máximo de autonomia dos indivíduos, com que trabalhamos, pretende-se saber como é previsto nestes documentos educativos o desenvolvimento destas atividades nos alunos com DID severa e com PIT. Como no presente estudo apenas se obteve autorização de um agrupamento de escolas, para o desenvolver, houve a necessidade de se recorrer a uma entrevista à coordenadora de educação especial do agrupamento e uma à terapeuta ocupacional, que acompanha os alunos dos quais se obteve autorização para realizar o estudo. Também se aplicou um questionário aos encarregados de educação, a Escala de Comportamento Adaptativo (ECA) aos alunos e, ainda, recorreu-se à análise documental dos PITs destes. Após a análise de todos os dados obtidos através dos diversos instrumentos de recolha, verificou-se que os PITs não promovem diretamente o desenvolvimento das AVDs e das AVDIs dos alunos, mas sim valores e atitudes subjacentes a estas atividades.
URI: http://hdl.handle.net/20.500.12207/5346
Designation: Dissertação de mestrado em Educação especial – especialização no domínio cognitivo e motor. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação, 2020
Appears in Collections:D-ECSC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
wcag
File Description SizeFormat 
Cristiana+Vieira_pdfa.pdf887.41 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons