Skip navigation
Utilize este identificador para referenciar este registo:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/20.500.12207/5294
wcag
Título: Acessibilidade a Cuidados de Saúde da População Idosa: Abordagem em Análise GeoEspacial para o Distrito de Beja
Autor: Goes, Margarida
Oliveira, Henrique
Amado, João
Palavras-chave: Enfermagem
Idosos
Análise Geoespacial
ArcGIS
Data: 26-Out-2012
Editora: Instituto das Ciências da Saúde (Universidade Católica Portuguesa), Fundação Dom Pedro IV
Resumo: O trabalho desenvolvido incidiu sobre todas as Freguesias do Distrito de Beja num total de 101. Os índices utilizados (que caracterizam a população idosa) foram: i. Índice de Dependência de Idosos (IDI) - relação entre o numero de idosos (população com 65 ou mais anos) e a população ativa (com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos); ii. Índice de Envelhecimento (IE) - relação entre o numero de idosos ( população com 65 ou mais anos de idade e o numero de jovens (população com idades compreendidas entre o 0 e os 14 anos); iii. Índice de Sustentabilidade Potencial (ISP) - relação entre a população em idade ativa (com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos) e a população idosa (com 65 ou mais anos de idade). Os três Índices indicados foram assim calculados com base nos censos do INE (1991, 2001 e 2011). Os limites administrativos das Freguesias do Distrito de Beja, foram extraídos da Carta Administrativa Oficial de Portu-gal (CAOP). O estudo recorre ao uso de metodologias baseadas em operadores de estatística espacial dos dados, tendo em conta a geografia da zona habitada pelos idosos, confrontando a distribuição geográfica da população idosa, com a distribuição geográfica das instituições de prestação de cuidados. Foram utilizadas funções disponibilizadas pelos sistemas de informação que utilizam técnicas de geoprocessamento, em particular, funções de proximidade (caso da determinação de áreas de influência) e funções de otimização em rede de acessos estruturada com base em modelo vetorial (especialmente orientada para a determinação de acessibilidades). A distribuição geográfica dos valores dos índices utilizados foi obtida pelo cálculo do centro geográfico médio (cgm) utilizando a média aritmética ponderada pelos valores atribuídos aos índices em estudo. A descrição quantitativa/qualitativa do padrão espacial observado, foi conseguida através da medição da autocorrelação espacial dos dados (IDI, IE e ISP), verificando a similaridade dos mesmos na sua vizinhança geográfica. Existem algumas métricas para avaliar a autocorrelação estatística de dados agregados, entre os quais se destaca o Índice Global de Moran (IGM) que caracteriza a hipótese nula de não existir um padrão (aglomerado ou disperso) e apresenta aproximadamente uma distribuição Gaussiana. Para o cálculo do IGM, foi necessário ter em consideração o relacionamento espacial (vizinhança) entre as entidades geográficas que foram identificadas no estudo, ou seja, as Freguesias consideradas como uma entidade do tipo "polígono". Para além da caracterização dos aglomerados proposta anteriormente, foi importante no âmbito da problemática da acessibilidade aos cuidados de saúde, conhecer a localização geográfica das principais Unidades de Saúde, nomeadamente, no caso do Distrito de Beja, a do HJJF que se encontra localizado no concelho de Beja, referencian-do-o quanto ao percurso rodoviário percorrido pelos utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS), aquando da sua deslocação do local onde habitam até à referida Unidade. Estuda-se, assim, a acessibilidade geográfica dos utentes do SNS, sob o ponto de vista de uma função de custo, em geral, ela mesma associada à minimização da função de custo adotada e que contém a variável em relação à qual se pretende obter um valor mínimo. Utiliza-se o processo de cálculo de otimização de percursos rodoviários, vulgarmente designados por análise de redes nos Sistemas de Informação Geográfica em que a variável a estudar é, em geral, a distância percorrida ou o tempo gasto no espaço geográfico percorrido. Esta análise usa como dado base uma rede rodoviária que interliga o local de origem e o destino a alcançar, recorrendo a um algoritmo de otimização para determinar o caminho mais curto entre dois pon-tos (origem e destino). No presente artigo, foram, assim, determinados os tempos de percurso (em minutos), cuja origem se localiza no cen-tro geográfico de cada centro habitacional correspondente à sede das Freguesias pertencentes ao Distrito de Beja, e o destino sempre referido em relação ao HJJF. Foram obtidos valores que variam entre os cinco minutos e os 112 (quase as duas horas), devido à dimensão e característica geográficas do Distrito. Toda a parte experimental do trabalho realizado neste artigo, foi efetuado em ambiente ArcGIS da ESRI, versão 9.3, recorrendo aos módulos Spatial Statistics e Network Analyst.
Descrição: O Livro de actas integral está disponível no repositório da Universidade de Évora através do seguinte URL:https://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/10861/1/CIEG2012_livro_atas.pdf
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/20.500.12207/5294
Aparece nas coleções:D-ENG - Comunicações com peer review

Ficheiros deste registo:
wcag
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Artigo_Cieg2012.pdfArtigo CIEG 2012575.96 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Este registo está protegido por Licença Creative Commons Creative Commons