Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/20.500.12207/4679
wcag
Title: Desenvolvimento de processos físico-químicos de precipitação e oxidação para tratamento de efluentes provenientes da produção de azeite
Authors: Afonso, Alexandra Isabel Godinho
Orientador: Carvalho, Maria de Fátima Nunes de
Carvalhos, Maria Teresa Borralho Marques dos
Prazeres, Ana Rita
Keywords: Precipitação
Oxidação
Agroindústrias
Matéria orgânica
Turvação
Fenóis totais
Fósforo
Issue Date: 15-Dec-2017
Citation: Afonso, A. (2017). Desenvolvimento de processos físico-químicos de precipitação e oxidação para tratamento de efluentes provenientes da produção de azeite. (Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior Agrária.
Abstract: A gestão dos efluentes provenientes da produção de azeite tem sido conduzida por aplicação de diversos tratamentos físico-químicos e biológicos, bem como a utilização no solo. No entanto, o mecanismo mais utilizado continua a ser o armazenamento em lagoas e a evaporação natural nos períodos mais quentes do ano. Este trabalho consistiu na caracterização das águas residuais de um lagar de sistema contínuo de duas fases situado na região do Baixo Alentejo e no desenvolvimento de processos inovadores de precipitação química (ácida, básica e com compostos de ferro) e processos de oxidação química (com peróxido de cálcio, peroxido de hidrogénio e hipoclorito de sódio). Estes efluentes apresentavam propriedades ácidas com pH entre 4–5, cor escura, cheiro intenso e desagradável, carência química de oxigénio (CQO) entre 7000-8000 mg.L-1, e os seguintes teores médios de nutrientes: 210,6 mg.L-1 de cálcio, 73,2 mg.L-1 de magnésio e 1049,7 mg.L-1 de fósforo. Além disso, estas águas residuais exibiam uma condutividade elétrica (CE) média de 2,69 dS.m-1 e um teor de fenóis totais de 540,4 mg de equivalentes de ácido gálico.L-1. Estes processos foram, no geral, eficazes na redução da turvação (8,2- 100%), CQO (1,3-57,9%), fósforo total (2,1-95,2%) e fenóis totais (14,4-94,0%), no entanto o efluente tratado apresentou aumento do teor de magnésio e condutividade elétrica.
URI: http://hdl.handle.net/20.500.12207/4679
Designation: Dissertação de mestrado em Eng.ª do Ambiente. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior Agrária, 2017
Appears in Collections:D-TCA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
wcag
File Description SizeFormat 
Alexandra Afonso.pdf4.87 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons