Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/123456789/620
wcag
Title: Qualidade de vida e dificuldades de cuidadores informais de idosos com doença mental: projeto de intervenção
Authors: Silva, Helena
Orientador: Faria, Maria Cristina
Keywords: Idosos
Cuidadores informais
Qualidade de vida
Doença mental.
Issue Date: 2013
Publisher: Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Educação.
Citation: Silva, H. (2013). Qualidade de vida e dificuldades de cuidadores informais de idosos com doença mental. (Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Educação
Abstract: As sociedades evoluídas da atualidade são caracterizadas por um envelhecimento demográfico marcado. A população residente com idade igual ou superior a 65 anos em Portugal passou de 8% em 1960 para 19% em 2011. Este envelhecimento acarreta com ele algumas situações novas para o Sistema Nacional de Saúde, nomeadamente um maior grau de dependência dos idosos, que ao viverem mais tempo estão mais vulneráveis a viverem com dependência física e também mental. Aparece assim associado ao idoso dependente com patologia do foro mental a figura do cuidador informal. A função deste é muitas vezes desgastante podendo apresentar algumas alterações a nível da sua qualidade de vida. Este estudo, pretende assim, conhecer a qualidade de vida e as principais dificuldades do prestador de cuidados da pessoa idosa com patologia do foro mental. Os participantes são cuidadores informais de pessoas com 65 ou mais anos, com doença mental, que residem no concelho de Castro Verde, Distrito de Beja. Foram escolhidos 18 participantes (94,4% sexo feminino, 5,6% sexo masculino), com uma média de idades de 66,89 anos. Os recetores de cuidados, também eles 18 (50% sexo feminino, 50%sexo masculino) tinham idade média de 84 anos, e patologia do foro mental (67% com demência vascular e 33% com doença da Alzheimer). As principais dificuldades encontradas através da aplicação do instrumento de avaliação CADI foram a nível da exigência de ordem física da prestação de cuidados e as restrições a nível social. Em relação à avaliação da qualidade de vida reportada, através da utilização do instrumento WHOQOL-Bref, 11,1% considera-a como “Muito Má”, 16,7% “Má”, 66,7% “Nem Boa Nem Má” e apenas 5,6% a consideram “Boa”. Após a recolha e análise de dados foi elaborado uma proposta de um projeto de intervenção comunitária denominada como “Cuidando de Quem Cuida”, que visa dar resposta às necessidades sentidas por estes cuidadores, através de formação, da criação de um gabinete de apoio ao cuidador informal, e ainda da criação de um grupo de voluntariado denominado “Amigos do Cuidador.
Description: Dissertação de mestrado em Psicogerontologia comunitária. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Educação, 2013.
URI: https://repositorio.ipbeja.pt/handle/123456789/620
Appears in Collections:D-ECSC - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.