Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/123456789/605
wcag
Title: A resolução de problemas matemáticos e a aprendizagem autorregulada dos alunos
Authors: Martins, Joana
Orientador: Espírito Santo, José
Azevedo, Maria Manuela
Keywords: Resolução de problemas
Problemas matemáticos
Modelo de resolução de problemas de Pólya
Autorregulação na aprendizagem
Issue Date: 2013
Publisher: Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Educação
Citation: Martins, J. (2013). A resolução de problemas matemáticos e a aprendizagem autorregulada dos alunos.(Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Educação.
Abstract: No presente relatório pretende-se compreender através das etapas de resolução de problemas enunciadas no modelo de Pólya, aplicando contudo um modelo mais simplificado (modelo enunciado por Boavida (2008) e Palhares (2004)), se os alunos, neste processo matemático, são ou não autorregulados. A investigação que adotou a metodologia de estudo de caso foi realizada na Escola Básica do 1.º Ciclo de Mértola, pertencente ao Agrupamento de Escolas do Ensino Básico/ E.S. de S. Sebastião, com um grupo de 6 alunos do 3.º ano de escolaridade, classificados pela Professora titular de turma de bons, médios e fracos na disciplina de Matemática. A questão de investigação central é a seguinte: “Será que os alunos, na resolução de problemas, são alunos autorregulados?”. No final do estudo, concluiu-se que os alunos são autorregulados, caso tenham uma atitude dinâmica e ativa no seu processo de aprendizagem, ou seja, possuam a capacidade de delinear e reformular estratégias para a execução de um plano, neste caso, um plano que envolva a resolução de tarefas matemáticas. Tudo isto, depende das fases em que se encontram do desenvolvimento do seu processo metacognitivo. Observou-se, através da análise da resolução das tarefas efetuadas pelos alunos e das entrevistas realizadas, que os alunos percorreram as etapas a seguir na resolução de problemas, enunciadas por Pólya. Embora não se tenha verificado uma diferenciação entre a elaboração de um plano e a sua execução, considerou-se que as etapas definidas por Boavida et al. (2008) e Palhares (2004) são as que melhor se ajustam a este nível de ensino, embora a etapa da avaliação não tenha sido ainda interiorizada pelos alunos.
Description: Dissertação de mestrado em Ensino na especialidade de pré-escolar e ensino do 1º ciclo do ensino básico. Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Educação, 2013
URI: https://repositorio.ipbeja.pt/handle/123456789/605
Appears in Collections:D-ECSC - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.